Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \20\UTC 2014

Paulo Leminski

f8c92642398f01734603a4b90ede0322

esta vida é uma viagem
pena eu estar aqui
só de passagem

Anúncios

Read Full Post »

Criança

f8c92642398f01734603a4b90ede0322

Eu com 7 anos

O ideal seria uma menina boba: 
que gostasse de ver folha cair de tarde…
Que só pensasse coisas leves que nem existem na terra,
E ficasse assustada quando ao cair da noite
Um homem lhe dissesse palavras misteriosas …
O ideal seria uma criança sem dono, 
que aparecesse como nuvem,
Que não tivesse destino nem nome – 
senão que um sorriso triste 
E que nesse sorriso estivessem encerrados
Toda a timidez e todo o espanto 
das crianças que não têm rumo…

Manoel de Barros

Read Full Post »

CONCURSO LITERÁRIO 1
Saiu a lista dos vencedores do 15º Concurso Literário do Servidor do Estado do Rio de Janeiro no gênero poesia após avaliação da comissão julgadora para a categoria, realizada dia 12 de novembro, na sede da Fundação Ceperj.
O primeiro colocado é morador da capital fluminense. E a segunda colocada sou eu! Durante o processo, dez menções honrosas foram escolhidas por tema literário. Na última edição do concurso eu ganhei menção honrosa…
Leia a notícia aqui.

Read Full Post »

o-DEATH-TUNNEL-facebook

O I Concurso Internacional de Poesia Casa de Espanha divulgou a lista dos finalistas. A final será dia 14/12/2014 às 18h30 no auditório da Casa de Espanha. Na categoria RJ, meu poema entre os 16 finalistas:

Odisseia

Vivo em circunviagem.
Qual Ulisses sem Ítaca, tenho saudade
de quem me espera.
Enquanto Penélope tece,
faço meu caminho em mares profundos.
Um porto de vez em quando me faz companhia.
A cada gesto de partida,
mais perto fico da chegada.
Nas tormentas, procuro o desconhecido
no espaço cíclico.
Viajo sem regresso previsto.
Peregrino sem âncora ou bússola.

Nas travessias cruéis, entre Cila e Caribde,
enfrento naufrágios, armadilhas e expectativas.
Encantam-me Circes, olhares e palavras.

Retorno pela memória.
Navego pelo visto, ouvido e amado.
Só assim me livro do exílio.
Encontro-me esperando por mim
no meio de tantos sonhos tecidos
enquanto eu crescia.

Solange Firmino

Read Full Post »

 f8c92642398f01734603a4b90ede0322

Poemas com cheiro de pão serão distribuídos em pacotes para os catarinenses.
Veja aqui a listagem com os poetas selecionados. Três poemas meus estarão nas embalagens:

Esfinge

Decifra meu enigma

e toda a essência

por trás do verso.

Segue pela trilha do poema

e revela a metáfora escondida.

Repousa sem tédio

no meu ritmo.

Descobre o segredo que habita

onde me esquivo,

onde a pergunta é só disfarce,

reverso.

Se me escondo,

é para devorar melhor.

Geometria de Ícaro

O céu côncavo

abarca o voo.

O sol oblíquo

derrete a cera

e o sonho.

O mar convexo

recebe a queda.

Mapa-múndi

Mapa mudo.

Mundo de fronteiras cravadas

no caminho inatingível do outro.

Arquipélago de seres

em legendas coloridas.

População em excesso.

Meu céu não tem

traçado geográfico,

meridiano ou hemisfério.

É abismo sem escala prevista em régua.

O mundo,

fora do ombro de Atlas,

é uma invenção cartográfica.

Solange Firmino

Read Full Post »